Conheça os temas dos livros mais interessantes dos últimos anos

É ótimo desenvolver os hábitos de leituras nem que seja dois livros por ano, a leitura abre novos horizontes para o cérebro e te faz conhecer palavras e saberes que você jamais imaginaria, veja a seguir diversos livros que se tornaram os mais importantes nos últimos anos.

Aqui estão eles:
Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust – Quiçá uma bíblia da civilização humana, mais do que da francesa. Ciúme, memória-tempo, amizade, sexualidade — eis alguns dos temas candentes do escritor. Duas editoras se encarregaram de traduzir a obra-prima, a Globo e a Ediouro. No time de tradutores da Globo estão Mario Quintana, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, entre outros. Fernando Py enfrentou solitariamente as centenas de páginas de um autor de prosa densa (quem só defende literatura concisa não sabe a delícia que é Proust). Mario Sergio Conti prepara a terceira tradução para a Companhia das Letras.

Enquanto Agonizo, de William Faulkner – O Som e a Fúria”, de William Faulkner, é o “Ulysses” norte-americano. Mas o escritor que resgatou a história do sul profundo dos Estados Unidos por meio da literatura tem um romance menor (em tamanho) e de alta qualidade — “Enquanto Agonizo”. Neste livro, todos os personagens têm vozes, apresentadas em igualdade de condições. As vozes parecem um coro e as pessoas estão carregando um caixão, com o corpo da matriarca da família, mas é como se não saíssem do lugar.

Paradiso, de Lezama Lima – Um romance escrito por um cubano. Lezama Lima é o James Joyce ou o Guimarães Rosa de Cuba. Sua prosa barroca é densa, às vezes de difícil apreensão, mas uma leitura cuidadosa, observando-se seus vieses, leva o leitor ao paraíso. Julio Cortázar escreveu sobre o livro: “‘Paradiso’ é como o mar… Surpreendido em um começo, compreendo o gesto de minha mão quando toma o grosso volume para olhá-lo uma vez mais; este não é um livro para ler como se leem os livros, é um objeto com verso e reverso, peso e densidade, odor e gosto, um centro de vibração que não se deixa alcançar em seu canto mais entranhado se não se vai a ele com algo que participe do tato, que busque o ingresso por osmose e magia simpática”.

Guerra e Paz, de Liev Tolstói – Se tivesse lido cuidadosamente o romance “Guerra e Paz” — literatura e história —, Adolf Hitler não teria invadido a União Soviética, em 1941, ou seja, 129 anos depois, mas com os mesmos resultados funestos das tropas de Napoleão Bonaparte. Liev Tolstói examinou a história cuidadosamente e escreveu um romance poderoso a respeito da invasão napoleônica de 1812. Seu trabalho literário rivaliza-se com as melhores histórias sobre o assunto. Detalhe: além da guerra, ele examina minuciosamente a vida civil do período. Como complemento, o leitor pode consultar “1812 — A Marcha Fatal de Napoleão Rumo a Moscou”, de Adam Zamoyski.

A Lebre Com Olhos de Âmbar, de Edmund de Waal
Um trabalho de arqueologia literária escrito por uma sensibilidade do século 19. Há, aqui e ali, uma percepção meio proustiana da vida. Porém, a obra é de 2010. O belíssimo livro, escrito por alguém que tem a percepção de que Deus às vezes está nos detalhes, ganhou elogios de pesos pesados. “De maneira inesperada, combina a micro arte das miniaturas com a macro história, em um efeito grandioso”, disse Julian Barnes. “Uma busca, descrita com perfeição, de uma família e de um tempo perdidos. A partir do momento em que você abre o livro, já está numa velha Europa inteiramente recriada”, afirma Colm Tóibín. (Tradução de Alexandre Barbosa de Souza. Editora Intrínseca.)

O Deserto dos Tártaros, de Dino Buzatti – O maior crítico brasileiro Antonio Candido aponta o romance do escritor italiano como um dos mais importantes da história da literatura. Fica-se com a impressão de que a história não anda, ou que anda para trás, ou melhor, que a personagem central, o tenente Giovanni Drogo, espera tanto que insinua-se paralisada, como se a história estivesse estancada. De permeio, a linguagem refinada de Dino Buzatti. (Editora Nova Fronteira, tradução de Aurora Fornoni Bernardini e Homero de Freitas Andrade.)

Uma Breve História do Tempo – Stephen Hawking – Uma das mentes mais geniais do mundo moderno, Stephen Hawking guia o leitor na busca por respostas a algumas das maiores dúvidas da humanidade: Qual a origem do universo? Ele é infinito? E o tempo? Sempre existiu, ou houve um começo e haverá um fim? Existem outras dimensões além das três espaciais? E o que vai acontecer quando tudo terminar?

As Cinzas de Angela: Memória – Frank McCourt – A infância de Frank McCourt na Irlanda teve todos os ingredientes para render uma história no tom desolado dos textos de Dickens. A pobreza extrema da família, o alcoolismo do pai, a morte dos irmãos, garantiriam a seu texto a trama de grandes tragédias. Suas memórias, no entanto, vão além. Apesar dos sofrimentos que enfrentou, a obra de McCourt consegue ser engraçada e poética, fazendo a narrativa fluir através de um texto lírico, ao compasso do olhar inquieto e surpreso do menino.
Se você ainda não sabe como começar e terminas saiba que ótimo livro é um dos grandes prazeres simples da vida. Independentemente de você estar lendo romances, obras não ficcionais, poesias ou uma grande e pesada apostila, este guia o ajudará a aprender como aproveitar ao máximo essa experiência.

1. Adquira um livro que você queira ler
2. Leia seu livro
3. Estabeleça um ritmo
4. Anime-se
5. Comente com os amigos o livro que está lendo
6. Leia até o fim do livro e faça um resumo para ter de lembrança.

Caso tenha em mãos um livro que não saiba bem se será bom ou não, mas ainda queira dar a ele uma oportunidade, leia um capítulo ou 20 páginas antes de continuar. Caso não se anime agora, você provavelmente não se animará mais.
Uma vez que você tomou conhecimento sobre os benefícios que um livro pode trazer para o seu processo de aprendizagem e pretende dar início a uma imensa lista de leitura, mas não sabe como concluir esse processo, confira 10 maneiras simples de resolver esse problema:
Leia no humor certo. Se você estiver distraído, nervoso ou muito preocupado para se concentrar, boa parte da experiência não valerá a pena. Você não conseguirá se lembrar do que foi lido.
Feche os olhos e entre no mundo do livro caso ele seja de mistério/suspense, magia e mistério, fantasia ou ficção realista.
Apesar de ser mais um caso de ser lido do que ler um livro por conta própria, audiolivros podem ser boas escolhas para determinadas situações.
Audiolivros são livros profissionalmente gravados para serem escutados em tocadores de música. Eles podem ser uma alternativa decente à leitura caso queira desfrutar de uma boa história durante uma longa viagem.
Não se esqueça de acompanhar as datas de entrega da biblioteca. Retorne ou renove os livros na data certa para evitar multas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *