É ótimo desenvolver os hábitos de leituras nem que seja dois livros por ano, a leitura abre novos horizontes para o cérebro e te faz conhecer palavras e saberes que você jamais imaginaria, veja a seguir diversos livros que se tornaram os mais importantes nos últimos anos.

Aqui estão eles:
Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust – Quiçá uma bíblia da civilização humana, mais do que da francesa. Ciúme, memória-tempo, amizade, sexualidade — eis alguns dos temas candentes do escritor. Duas editoras se encarregaram de traduzir a obra-prima, a Globo e a Ediouro. No time de tradutores da Globo estão Mario Quintana, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, entre outros. Fernando Py enfrentou solitariamente as centenas de páginas de um autor de prosa densa (quem só defende literatura concisa não sabe a delícia que é Proust). Mario Sergio Conti prepara a terceira tradução para a Companhia das Letras.

Enquanto Agonizo, de William Faulkner – O Som e a Fúria”, de William Faulkner, é o “Ulysses” norte-americano. Mas o escritor que resgatou a história do sul profundo dos Estados Unidos por meio da literatura tem um romance menor (em tamanho) e de alta qualidade — “Enquanto Agonizo”. Neste livro, todos os personagens têm vozes, apresentadas em igualdade de condições. As vozes parecem um coro e as pessoas estão carregando um caixão, com o corpo da matriarca da família, mas é como se não saíssem do lugar.

Paradiso, de Lezama Lima – Um romance escrito por um cubano. Lezama Lima é o James Joyce ou o Guimarães Rosa de Cuba. Sua prosa barroca é densa, às vezes de difícil apreensão, mas uma leitura cuidadosa, observando-se seus vieses, leva o leitor ao paraíso. Julio Cortázar escreveu sobre o livro: “‘Paradiso’ é como o mar… Surpreendido em um começo, compreendo o gesto de minha mão quando toma o grosso volume para olhá-lo uma vez mais; este não é um livro para ler como se leem os livros, é um objeto com verso e reverso, peso e densidade, odor e gosto, um centro de vibração que não se deixa alcançar em seu canto mais entranhado se não se vai a ele com algo que participe do tato, que busque o ingresso por osmose e magia simpática”.

Guerra e Paz, de Liev Tolstói – Se tivesse lido cuidadosamente o romance “Guerra e Paz” — literatura e história —, Adolf Hitler não teria invadido a União Soviética, em 1941, ou seja, 129 anos depois, mas com os mesmos resultados funestos das tropas de Napoleão Bonaparte. Liev Tolstói examinou a história cuidadosamente e escreveu um romance poderoso a respeito da invasão napoleônica de 1812. Seu trabalho literário rivaliza-se com as melhores histórias sobre o assunto. Detalhe: além da guerra, ele examina minuciosamente a vida civil do período. Como complemento, o leitor pode consultar “1812 — A Marcha Fatal de Napoleão Rumo a Moscou”, de Adam Zamoyski.

A Lebre Com Olhos de Âmbar, de Edmund de Waal
Um trabalho de arqueologia literária escrito por uma sensibilidade do século 19. Há, aqui e ali, uma percepção meio proustiana da vida. Porém, a obra é de 2010. O belíssimo livro, escrito por alguém que tem a percepção de que Deus às vezes está nos detalhes, ganhou elogios de pesos pesados. “De maneira inesperada, combina a micro arte das miniaturas com a macro história, em um efeito grandioso”, disse Julian Barnes. “Uma busca, descrita com perfeição, de uma família e de um tempo perdidos. A partir do momento em que você abre o livro, já está numa velha Europa inteiramente recriada”, afirma Colm Tóibín. (Tradução de Alexandre Barbosa de Souza. Editora Intrínseca.)

O Deserto dos Tártaros, de Dino Buzatti – O maior crítico brasileiro Antonio Candido aponta o romance do escritor italiano como um dos mais importantes da história da literatura. Fica-se com a impressão de que a história não anda, ou que anda para trás, ou melhor, que a personagem central, o tenente Giovanni Drogo, espera tanto que insinua-se paralisada, como se a história estivesse estancada. De permeio, a linguagem refinada de Dino Buzatti. (Editora Nova Fronteira, tradução de Aurora Fornoni Bernardini e Homero de Freitas Andrade.)

Uma Breve História do Tempo – Stephen Hawking – Uma das mentes mais geniais do mundo moderno, Stephen Hawking guia o leitor na busca por respostas a algumas das maiores dúvidas da humanidade: Qual a origem do universo? Ele é infinito? E o tempo? Sempre existiu, ou houve um começo e haverá um fim? Existem outras dimensões além das três espaciais? E o que vai acontecer quando tudo terminar?

As Cinzas de Angela: Memória – Frank McCourt – A infância de Frank McCourt na Irlanda teve todos os ingredientes para render uma história no tom desolado dos textos de Dickens. A pobreza extrema da família, o alcoolismo do pai, a morte dos irmãos, garantiriam a seu texto a trama de grandes tragédias. Suas memórias, no entanto, vão além. Apesar dos sofrimentos que enfrentou, a obra de McCourt consegue ser engraçada e poética, fazendo a narrativa fluir através de um texto lírico, ao compasso do olhar inquieto e surpreso do menino.
Se você ainda não sabe como começar e terminas saiba que ótimo livro é um dos grandes prazeres simples da vida. Independentemente de você estar lendo romances, obras não ficcionais, poesias ou uma grande e pesada apostila, este guia o ajudará a aprender como aproveitar ao máximo essa experiência.

1. Adquira um livro que você queira ler
2. Leia seu livro
3. Estabeleça um ritmo
4. Anime-se
5. Comente com os amigos o livro que está lendo
6. Leia até o fim do livro e faça um resumo para ter de lembrança.

Caso tenha em mãos um livro que não saiba bem se será bom ou não, mas ainda queira dar a ele uma oportunidade, leia um capítulo ou 20 páginas antes de continuar. Caso não se anime agora, você provavelmente não se animará mais.
Uma vez que você tomou conhecimento sobre os benefícios que um livro pode trazer para o seu processo de aprendizagem e pretende dar início a uma imensa lista de leitura, mas não sabe como concluir esse processo, confira 10 maneiras simples de resolver esse problema:
Leia no humor certo. Se você estiver distraído, nervoso ou muito preocupado para se concentrar, boa parte da experiência não valerá a pena. Você não conseguirá se lembrar do que foi lido.
Feche os olhos e entre no mundo do livro caso ele seja de mistério/suspense, magia e mistério, fantasia ou ficção realista.
Apesar de ser mais um caso de ser lido do que ler um livro por conta própria, audiolivros podem ser boas escolhas para determinadas situações.
Audiolivros são livros profissionalmente gravados para serem escutados em tocadores de música. Eles podem ser uma alternativa decente à leitura caso queira desfrutar de uma boa história durante uma longa viagem.
Não se esqueça de acompanhar as datas de entrega da biblioteca. Retorne ou renove os livros na data certa para evitar multas.

Você vai encontrar o que tanto pesquisou e vai se apaixonar com os mais diversos livros que foram muito importante para 2018

Irresistível – do autor Adam Alter, é um livro que aborda os vícios tecnológicos
O boom tecnológico modificou a rotina e o modo de se relacionar da sociedade de forma radical, e é nesse contexto que Adam Alter faz um estudo sobre o teor irresistível da vida conectada. O autor analisa vícios comportamentais para guiar o leitor a maneiras de fazer um bom uso da tecnologia, evitando suas armadilhas. Se você já se pegou refletindo a respeito do uso excessivo de redes sociais, e-mail e outros recursos do tipo, “Irresistível” poderá ser essencial para tomar uma decisão e repensar saúde e bem-estar na Era Digital.

Na Minha Pele – O ator, escritor e diretor, Lázaro Ramos, em mais um dos seus livros publicados, decide dar voz à questão racial em uma (quase) autobiografia. Com o sonho de viver em um mundo sem diferenças, em que a pluralidade racial seja vista como algo positivo, Lázaro compartilha, no livro “Na Minha Pele”, descobertas, dúvidas e conquistas ao longo da sua trajetória, até o momento. Para ele, é muito importante o diálogo, para gerar a aceitação das diferenças em um mundo ainda cheio de preconceitos. Este é um livro sincero e cheio de revelações sobre questões que ainda não são muito abordadas, que nos convida a sermos mais atentos à tudo a nossa volta.
Por Que Fazemos o Que Fazemos? fala sobre motivação na vida profissional – Se você está sempre sem tempo, se você anda desmotivado no cotidiano… então aqui pode estar o melhor livro, aquele que vai fazer você refletir sobre sua vida profissional. Nas páginas desse livro, o filósofo Mario Sergio Cortella mostra que é importante viver com um propósito. Se você está sempre pensando no seu presente e no seu futuro profissional, esse livro é como um guia, com vários ensinamentos como “Paciência na turbulência, sabedoria na travessia”.
– Ainda sou eu (Como eu era antes de você Livro 3)
– Mentes Brilhantes. Como Desenvolver Todo o Potencial do Seu Cérebro
– Deixe-Me Ir
– Daniela Sacerdoti é a autora best-seller de Watch Over Me
– Intenso Demais
– Livro – Desafio
– O Homem de Giz
– Eu Sou As Escolhas Que Faço
– Uma Dobra no Tempo
– O Catador de Pensamentos
– Em Algum Lugar nas Estrelas
– Sempre E Tempo De Amar
Procurando inspiração para turbinar sua lista de leitura para o ano de 2018? que bom, porque eu trouxe aqui uma lista de livros legais para você incluir nas suas metas para 2018!

Antes de começar, já aviso que todos os livros Essa lista da Amazon permite, inclusive, que outras pessoas comprem para você de presente e você receba o livro em casa, de surpresa. Se por acaso você tentar comprar o livro nesse período, o site avisa que já tem um a caminho pra você e não estraga o presente.

Minha vida (não tão) perfeita, de Sophie Kinsella:
Sophie Kinsella é a rainha do famigerado chick lit, a chamada “literatura de mulherzinha” que traz histórias de amor carregadas de humor e açúcar. Para quem não sabe ou não lembra, ela é a autora de “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom” também. “Minha Vida (Não Tão) Perfeita” é o novo dela, que promete entregar tudo o que já conhecemos e amamos em sua obra: dramas, confusões e uma boa dose de amor. Traz a história de Cat Brenner, uma publicitária que parece ter uma vida perfeita (pelo menos é o que ela mostra no Instagram), até que uma reviravolta faz tudo mudar.

A Melhor Coisa que Nunca Aconteceu na Minha Vida, de Laura Tait e Jimmy Rice:
Este livro não é um lançamento, eu mesma o li em 2016. Mesmo assim, acho que vale a indicação, pois é fofo demais. Foi escrito por dois amigos, cada um assumindo um dos personagens principais e fala sobre uma segunda chance para o primeiro amor. Holly e Alex eram amigos na adolescência e, onze anos depois, já na casa dos trinta anos de idade, eles se reencontram por acaso. E aí, existe a chance da história de amor deles finalmente acontecer. É tudo muito bonito e divertido, principalmente na escrita do Jimmy Rice, que constrói um Alex extremamente humano e adorável.

Confesse, de Colleen Hoover:
Estou louca para ler esse livro, lançamento mais recente de Colleen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless. Para além da capa maravilhosa, “Confesse” é um romance sobre arriscar tudo pelo amor e sobre encontrar seu coração entre a verdade e a mentira. Tem tudo para ser incrível.

Uma História Simples, de Leila Guerriero:
Eu absolutamente recomendo para TODO MUNDO esse livro-reportagem da Leila Guerriero. Foi das coisas mais impactantes que li em 2017 e o mais louco é que é uma história real. Em janeiro de 2011, a jornalista argentina viajou até um povoado de seis mil habitantes, no interior do país, com o objetivo de contar a história de uma competição de dança típica tão secreta quanto prestigiada, realizada anualmente desde 1966: o Festival Nacional de Malambo de Laborde. Lá ela conheceu um dos competidores e ficou totalmente impactada pela trajetória e pela dança dele. Largou tudo e foi acompanhar a carreira do cara por um ano. Daí nasceu “Uma História Simples”, uma história real e cativante até a última gota sobre determinação, paixão e dança. Um dos livros mais maravilhosos que já li na vida.

Cama, de David Whitehouse:
Esse livro destruiu minha cabeça! Fala sobre um moço, Malcolm Ede, que ao completar 25 anos de idade decide simplesmente não sair nunca mais da cama, como protesto silencioso pela vida mediana que leva e a perspectiva de ter um futuro medíocre com emprego, namorada e tédio. E é isso! Aí começa o drama, da família que passa a orbitar ao redor dele, das promessas de futuro jogadas fora para as pessoas que o amam. O livro é contado pela ótica do irmão mais novo de Malcolm, que não entende como o primogênito pode ser tão egoísta — ao passo que Malcolm acha que está fazendo um verdadeiro ato heroico e político. Anos se passam e Malcolm nunca mais saiu da cama, algo agora impossível já que ele atingiu a marca de 600 quilos. A vida de Malcolm se resume a comer e dormir, a cama já faz parte do seu corpo, literamente. Sua família foi destruída por sua escolha. É grotesco e triste. E é lindo. É literatura do absurdo e choca demais.

Em Águas Sombrias, de Paula Hawkins:
Depois do sucesso estrondoso de “A Garota No Trem”, chegou outro arrasa-quarteirão de Paula Hawkins. “Em Águas Sombrias” segue a fórmula certeira de trazer como protagonistas mulheres em crise, indo ainda mais fundo dessa vez ao contar a história de um suicídio que não é o que parece, em uma trama que bota o dedo na ferida ao falar de violência sexual, relacionamentos abusivos e machismo. Na minha opinião, não é tão bom quanto “A Garota No Trem”, mas ainda assim é bom demais.